Personal tools
You are here: Home Wiki afinação da flauta de tamborileiro
Navigation
Log in


Forgot your password?
 
Views

A amplitude normal da flauta de bisel entre nós é de sete notas, numa escala diatónica mais ou menos regular, a partir da sensível mais grave; mas as vezes, com certa dificuldade — e pouca segurança —, os tocadores, graduando a insuflação, conseguem obter mais um tom grave. Lambertini indica, para a flauta do tamborileiro alentejano, um âmbito de onze notas, de sol a lá sustenido, mais o fá sustenido e o lá natural. A flauta de tamborileiro (também designada por pífaro) de três furos, subordina-se a princípios acústicos comuns a instrumentos idênticos que já na Idade Média eram usados na Europa. As notas fundamentais da flauta de tamborileiro podem-se tocar, mas não são muito usadas. A escala começa uma oitava acima, com o 2.º harmónico e continua, por intensidade de sopro, pelo 3.º, 4.º e 5.º harmónicos e mesmo mais. Neste instrumento, o intervalo maior entre dois registos é de uma quinta, do 2.º para o 3.º harmónico, pelo que os três furos são suficientes para se conseguir as notas necessárias para fazer uma escala. Esta escala pode chegar a ter mais de uma oitava, como acontece no galoubet occitano, chegando a ter uma oitava e uma quinta (começando por exemplo em fá poderemos tocar até ao dó da segunda oitava).



Powered by Plone CMS, the Open Source Content Management System

This site conforms to the following standards: